Livros

Estrangeiro, O

Através da história de um homem que mata outro por nada, Camus critica a incessante busca de significados para os acontecimentos da vida humana

– 19/07/2009

O ESTRANGEIRO
L’Étranger
Albert Camus
Tradução de Valerie Rumjanek
130 páginas
Record, 2006
Comprar


O romance conta a história de Meursault, personagem narrador, que é condenado à morte não por matar um homem, mas por não ter chorado no enterro da mãe. A ação do livro se desenrola na Argélia, que na época da narrativa era uma colônia francesa.

O absurdo é o tema que percorre os romances e ensaios de Albert Camus. O escritor desenvolveu uma espécie de filosofia do absurdo. Segundo ela, a vida é irracional e sem qualquer sentido. No livro O estrangeiro essa ideia é retratada pelos pensamentos e atitudes do protagonista Meursault.

O personagem principal é indiferente ao mundo que o cerca, vive uma vida banal. Meursault recebe com indiferença a notícia da morte da mãe, não se importa em casar sem amor com Marie nem sente remorso em matar um homem.

À noite, Marie veio buscar-me e perguntou se eu queria casar-me com ela. Disse que tanto fazia, mas que se ela queria, poderíamos nos casar. Quis, então, saber se eu a amava. […] Expliquei que isso não tinha importância alguma e que, se ela o desejava, nós poderíamos casar. Era ela, aliás, quem o perguntava, e eu me contentava em dizer que sim. Observou, então, que o casamento era uma coisa séria (p. 45-6).

O crime que levou Meursault para a prisão teve origem na ajuda que o protagonista deu ao seu vizinho cafetão Raymond para este se livrar de uma amante árabe. Mais adiante, Meursault e o vizinho encontram o irmão da moça, o árabe, em uma praia. Raymond sai ferido depois de uma briga de facas com o árabe. Mais tarde, o protagonista volta à praia e, devido ao delírio provocado pelo calor e pela luz forte do sol, mata o agressor de Raymond com um tiro. Depois, dá mais quatro tiros no árabe já morto.

O tribunal que julga o crime representa a sociedade tentando impor a racionalidade através das leis. Tanto o advogado de defesa quanto o de acusação procuram explicar o assassinato pela lógica e pela razão. É a tentativa de encontrar o racional num universo irracional.

O encontro do personagem principal com o capelão mostra que a fé e a religião também não podem explicar a vida. A única coisa certa é a morte. Todos irão morrer um dia, independente de causa ou natureza do óbito. A morte dos homens não tem qualquer importância para o universo.

Através do livro O estrangeiro, o autor demonstra a ideia de que a vida é irracional e desprovida de qualquer sentido ou significado. O romance é uma das obras mais conhecidas de Camus e serviu de inspiração para a banda inglesa de rock The Cure compor a música “Killing an arab”.

Deixe um comentário

Nome *




* Campos obrigatórios

Newsletter

Cadastre seu e-mail e receba atualizações do site

Powered by FeedBurner

 

 

 

Copyright © 2009 Literatsi. Todos os direitos reservados.
Powered by WordPress